Tudo o que tem de saber antes de comprar uma máscara

Com o final do estado de emergência, e o País no estado de calamidade, muitas são as situações já obrigatórias para o uso de máscara de proteção, e outras tantas aconselhadas.

Nas lojas, transportes e serviços públicos, é obrigatório o uso das máscaras sociais, ou comunitárias. Também nas escolas, os funcionários e as crianças a partir dos seis anos são obrigados a usá-las.

Com as máscaras a fazerem parte do dia a dia dos portugueses, muitas são as que têm surgido para compra. As mais comuns são as cirúrgicas, descartáveis, e as sociais reutilizáveis.

al

Muitas pessoas optam mesmo por criar as suas máscaras em casa, porém é necessário ter muita atenção com a máscara que pretende utilizar. É que nem todas cumprem os requisitos de segurança e podem não proteger da transmissão do novo coronavírus.

Deverá sempre optar por um produto certificado. Aquilo que deve procurar é uma máscara com pelo menos 70 por cento de filtração — um requisito obrigatório para obter a certificação dada pelo Centro Tecnológico das Indústrias do Têxtil e do Vestuário (Citeve), entidade autorizada pela Direção-Geral da Saúde a certificar este tipo de máscaras. As máscaras sociais certificadas são ainda fiscalizadas pela ASAE.