Hospital de Gaia aplica técnica inovadora a doentes cardíacos de alto risco

Uma equipa multidisciplinar, incluindo especialistas europeus, fez pela primeira vez em Portugal, designadamente no Centro Hospitalar de Gaia/Espinho, uma intervenção inovadora para reparação da insuficiência tricúspide por cateterismo, revelou à Lusa o diretor do Serviço de Cardiologia.

Durante cerca de quatro horas e meia, especialistas espanhóis e alemães, numa equipa de 16 elementos, aplicaram uma “cardioband” numa “mulher com cerca de 70 anos, com várias doenças associadas e que sofria de insuficiência cardíaca”, revelou Ricardo Fontes Carvalho.

“Na prática, a senhora tinha uma grande limitação no seu dia-a-dia, porque qualquer coisa que fizesse cansava-a muito facilmente, para além de ter uma grande quantidade de edemas, é uma doente que está sempre inchada e que precisa de doses muito altas de diuréticos (…) Esta doente tinha uma grande limitação no seu dia-a-dia, só de andar no plano ficava ofegante (…) e o risco de cirurgia era muito alto e não havia outra opção que não fosse esta nova técnica”, explicou o cardiologista.

O procedimento baseia-se na colocação de uma banda de tecido que é introduzida no coração através de um pequeno tubo através de uma veia da virilha (cateterismo)´. A banda é fixada nos bordos da válvula tricúspide com pequenos parafusos, sob controlo de ecografia, no final do procedimento a banda é apertada, com consequente redução do tamanho da válvula, lê-se na informação enviada à Lusa pelo hospital.