Festival Varandas em Casa

É já no dia 29 de Março, que a hora muda. Nesta mudança, regressa o Festival “Varandas em Casa”.

As varandas não serão apenas palco, também serão plateia. O Festival Varandas torna-se numa iniciativa solidária e de resistência em tempos de “guerra” e abre inscrições a voluntários, guerrilheiros da música e da palavra.

Esta necessidade tem sido uma das maiores manifestações no mundo no momento que atravessamos. De forma espontânea começámos por ver a Itália a cantar à varanda e à janela, atravessando fronteiras, tendo chegado já ao Brasil.  
Para a Câmara de Gaia, este Festival que existe desde 2012, esta forma não é de todo estranha. No dia 29 de março, domingo, todos vão varandear em casa, por todo o país, tentando chegar a todos. 


Quem pode participar?

Todos. Não tem de ser um profissional das artes de espetáculo. Pode ser música a solo ou em conjunto, pode ser baile, pode ser DJ, pode ser karaoke – que significa “orquestra vazia”, bem a propósito – pode ser poesia, pode ser conto, pode ser um capítulo de um livro que leve alguém a querer ler o resto em casa. Pode ser uma performance, uma curta peça de teatro, um monólogo. Só pedem que tenham algum cuidado com o que dizem e fazem, porque terão certamente crianças a ver. 


Inscreve-te É simples: numa mensagem privada na página do Festival Varandas envia o seu nome ou nome do coletivo ou participantes, um contacto, o que irá ser interpretado (música, poesia, teatro) e onde. A organização irá compilar as participações e informar-te do horário. Este cartaz será difundido nas redes sociais e nos meios de comunicação social. É importante que pessoas sem acesso a internet saibam do dia, hora e localidade. Esta iniciativa tem como um dos principais objetivos chegar a pessoas que, além de isoladas em casa, estão mais isoladas por não terem internet ou redes sociais. Era bom chegar a todos os bairros, a toda a parte, ir um pouco por todo o país, mas ao vivo. E as crianças não estão esquecidas. 


Onde, como e quando?

Não tem de o fazer sozinho, embora possa fazê-lo, claro. Se quiser combinar com mais vizinhos do seu prédio ou do prédio em frente, ou do prédio ao lado, pode, por exemplo, fazer um alinhamento de poemas distribuídos por esses participantes. Pode organizar um coro, pode dar um concerto com várias participações. Pode também atuar sozinho ou em família. Caso esteja sozinho, ou vá atuar sozinho, vai parecer estranho ir para a varanda, janela ou pátio e começar, às 17h30 do dia 29 de março, a cantar, ler, atuar sozinho. Não estará sozinho, não se acanhe.