Câmara de Gaia prevê apoiar 183 famílias nas rendas de casa

O crescimento da procura habitacional, motivado em grande parte pelo exponencial aumento do valor das rendas, impulsionou o surgimento, em Vila Nova de Gaia, do Subsídio de Apoio ao Arrendamento (incluído no programa «Gaia+Inclusiva»). É assegurado desde o ano de 2018 e este apoio permite aos agregados familiares em situação de carência económica continuar a cumprir com o pagamento dos encargos habitacionais, assegurando a manutenção da situação do arrendamento. Atendendo à crescente procura deste tipo de apoio, encontram-se, no momento, em lista de espera, para 2020, 183 candidaturas. Caso estes processos tenham enquadramento no âmbito do presente eixo, será necessário um investimento municipal na ordem dos 323 mil euros.

Em 2018, ano de arranque desta medida, foram apoiados 67 agregados familiares, resultado de um investimento de 70 mil euros.
Em 2019, o apoio atribuído envolveu um investimento de 180 mil euros, que se repercutiu num apoio efetivo de caráter mensal a 111 famílias de Arcozelo (1), Avintes (3), Canelas (5), Canidelo (18), Oliveira do Douro (5), Vilar de Andorinho (4), Grijó e Sermonde (2), Gulpilhares e Valadares (9), Mafamude e Vilar do Paraíso (33), Pedroso e Seixezelo (1), Sandim, Olival, Lever e Crestuma (3), Santa Marinha e São Pedro da Afurada (23) e Serzedo e Perosinho (4). De realçar, ainda, que, do total da população beneficiária do apoio naqueles dois anos, 69,26% são mulheres e 30,74% são homens.

Para a Câmara Municipal de Gaia, o apoio ao arrendamento reveste-se da máxima importância, na medida em que permite minimizar os impactos conjunturais do mercado de arrendamento, constituindo uma resposta na procura de alternativa habitacional.