Concurso para nova ponte com três finalistas

A Metro do Porto deu a conhecer publicamente, a 18 de outubro, os três finalistas da primeira fase do concurso público de concessão da nova ponte sobre o rio Douro, que fará parte da segunda linha de metro entre Gaia e Porto, ligando Santo Ovídio e Devesas ao Campo Alegre e à Casa da Música.


Num concurso que recebeu 28 propostas, os finalistas são três gabinetes portugueses de engenharia. O júri do concurso atribuiu o primeiro lugar ao consórcio liderado por Edgar Cardoso: Laboratório de Estruturas. Este projeto, que receberá um prémio de 150 mil euros, propõe uma solução tipo pórtico com escoras inclinadas, com betão como principal material e uma altura superior à da Ponte da Arrábida, também da autoria de Edgar Cardoso. Com poucos apoios nas encostas das duas cidades, o projeto terá um prazo de execução de 970 dias e uma estimativa orçamental de 50,5 milhões de euros.


O segundo lugar foi atribuído ao projeto do consórcio liderado pela COBA, que receberá um prémio no valor de 100 mil euros. Este projeto apresenta uma solução de arco com tabuleiro a nível intermédio, com pilares de betão armado nas encostas e pilares metálicos sobre o arco, sendo que as partes metálicas do arco, tabuleiro e pilares serão pintados de branco. Uma solução que apresenta um prazo de execução de 1.001 dias e uma estimativa orçamental de 62,8 milhões de euros.
Já o terceiro lugar foi atribuído ao consórcio liderado pela Betar – Consultores, que receberá um prémio de 50 mil euros. O projeto assenta numa solução de pórtico de pilares inclinados e assimétricos nas margens, com o tabuleiro a ser constituído por aço e betão e os pilares e encontros em betão armado, e tem uma estimativa de prazo de construção de 1.004 dias e um custo de 69,2 milhões de euros.