CINCO NOMEADOS PARA O III PRÉMIO CULTURAL JOSÉ GUIMARÃES

Os fadistas Francisco Moreira e Joana Torres, o ilusionista José Cambra, o cantor/rapper Sebastião Ramos Silva e o ator Tomé Nunes Pinto, são os jovens artistas sub-30 nomeados para o III Prémio Cultural José Guimarães – Juventude. O vencedor será agora decidido por votação popular, até ao próximo dia 31 de agosto, através do email premioculturaljg@fernandomarques67gmail.com.  

Os nomeados que não reúnam a maioria dos votos, serão distinguidos com Prémios de Nomeação, uma criação da artista plástica Carla Capela, responsável também pela escultura que corporiza o Prémio Cultural José Guimarães, cuja designação se inspira no nome de uma importante figura do nosso teatro musicado e da música ligeira portuguesa, portuense de nascimento por adoção, que foi um exemplo de dedicação à sua comunidade, como poeta, músico, dramaturgo, cenógrafo, figurinista, encenador e ator.  Homenageando a vida e a memória do seu patrono, este galardão visa distinguir anualmente o que de mais relevante os jovens criadores sub-30 fazem no panorama cultural gaiense no domínio de todas as artes. Com esta distinção pretende-se estimular os mais jovens a investir na produção artística, valorizar a atividade desenvolvida pelas estruturas existentes no concelho de Vila Nova de Gaia e estimular o surgimento de novos artistas, autores e lugares de criação, do teatro à dança, do canto à música, da literatura ao cinema, das artes plásticas às demais formas de expressão artística, gerando assim maior oferta cultural. 

      A CRIADORA DO III PRÉMIO CULTURAL JOSÉ GUIMARÃES

Carla Capela, artista plástica, é a autora do Prémio Cultural José Guimarães 2022-2023. Licenciada em Artes Plásticas-Escultura pela Faculdade de Belas Artes/Porto, possui o mestrado em Artes Plásticas-Intermédia pela Universidade de Évora e o mestrado em Ensino de Artes Visuais no 3º Ciclo do Ensino Básico pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação/Porto. Possui ainda o mestrado em Ensino de Artes no Ensino Secundário pela Faculdade de Belas Artes/Porto e atualmente é docente de Artes Visuais no Colégio Novo da Maia. Natural de Espinho e residente em Vila Nova de Gaia, exerce também forte atividade de criação artística regular nos domínios do teatro e da música.   

              OS CINCO NOMEADOS (POR ORDEM ALFABÉTICA) 

Francisco Moreira, fadista, passou pelo The Voice Portugal e pelo Grande Prémio Nacional de Fado RTP em 2013, que venceu, e prepara-se para lançar “Lugar”, o primeiro álbum em que se assume como compositor e letrista. Além de ser presença assídua em casas de fado de renome e em alguns dos maiores palcos do país, como o Coliseu do Porto, a Casa da Música e o Centro Cultural de Belém, destacou-se em Gaia no espetáculo “Fado Sem Tempo”, realizado no Auditório do Centro Paroquial de Mafamude. 

Joana Torres, fadista, estreou-se no início de 2022, na casa de fados gaiense “Fado Português”, mas o seu interesse pelo fado aconteceu na Suíça, quando tinha apenas 14 anos. Atua regularmente nas mais prestigiadas salas de espetáculos do norte do país, com particular incidência na cidade do Porto, nomeadamente no “Porto de Fados” e noutros espaços da Invicta. Atualmente integra o espetáculo “Fado Sem Tempo”, apresentado no Auditório do Centro Paroquial de Mafamude, onde se destacou pela sua interpretação. 

José Cambra, ilusionista, iniciou-se nesta arte quando tinha apenas 10 anos. Ao longo dos últimos anos, tem realizado centenas de espetáculos, tendo obtido o 2º prémio num concurso nacional de talentos; foi professor na Escola de Magia do Porto, foi também vice-presidente do clube de ilusionismo CIF e fez uma longa tournée pela Dinamarca. Em dezembro de 2021, integrou o elenco do Grande Circo de Natal do Coliseu do Porto, e destacou-se ao longo dos anos de 2022 e 2023 em inúmeros eventos realizados no concelho de Gaia. 

Sebastião Ramos Silva, cantor/rapper, iniciou a sua aproximação à música após uma primeira e breve experiência nas áreas do som, luz e imagem, enveredando depois pela composição e produção musical, a par da realização de alguns trabalhos como DJ e técnico de instrumentos musicais. Residente em Gaia, assina regularmente as suas composições e performances como Cantor/Rapper com o nome de NORT, tendo-se destacado sobretudo nesta qualidade num evento realizado em dezembro de 2023 na Escola Básica de Sandim. 

Tomé Nunes Pinto, dramaturgo, encenador e ator, frequentou o curso de teatro (interpretação) da ESMAE (Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo), esteve ligado à criação do Trio Contador de Histórias: Bicho Papelão, que promove eventos infantis, e foi um dos fundadores da Companhia N.A.V.I.O. (Núcleo Artístico de Vontades Inusitadas e Outras). Em novembro de 2022, destacou-se no espetáculo “Barco Negro”, produzido pela Tuna Musical de Santa Marinha e estreado no âmbito do Festival de Teatro José Guimarães.

                          E O GRANDE VENCEDOR É… 

O grande vencedor do III Prémio Cultural José Guimarães, que abrange o período compreendido entre setembro de 2022 e julho de 2023, será anunciado no dia 16 de setembro próximo, às 21h30, no auditório da Tuna Musical de Santa Marinha, em espetáculo pré-Festival de Teatro José Guimarães, cuja V edição se realiza entre 22 de setembro e 2 de dezembro. Esta sessão de consagração do vencedor do Prémio, reúne um naipe de outros jovens artistas das várias formas de expressão que são hoje grandes promessas de amanhã.