É já neste domingo a meia maratona que junta atletas de 78 países

A 16.ª edição da Meia Maratona do Porto, marcada para domingo, contará com atletas de 78 países, numa corrida marcada pelo regresso a Gaia, que irá dividir o percurso com a cidade invicta.

Jorge Teixeira, diretor-geral da Runporto, acredita que a mudança do circuito poderá traduzir-se em melhores resultados dos atletas, um percurso “muito mais plano e competitivo”, e considera que a obtenção de um recorde da prova “é difícil, mas não impossível”.

“Esperamos que este ano, com a pequena alteração do percurso, que, para mim, está muito mais plano e competitivo, venha a traduzir-se no resultado do próximo domingo. Sabemos que o recorde, fazer abaixo de 59 minutos [0:59.30 horas, de Zersebay Tadese (Eritreia), em 2011, é o recorde masculino a bater], é difícil, mas não é impossível. Não há impossíveis, nem o recorde do mundo é impossível, estas coisas são como os melões. Abrem-se e só no dia é que se vê se são bons ou não”, constatou, na conferência de imprensa do evento, que se realizou hoje na Alfândega do Porto.